O QUE OS ESTUDOS DIZEM SOBRE O USO DO MARACUJÁ PARA ANSIEDADE

Atualizado: 13 de Fev de 2019


Quem nunca tomou um suco de maracujá para acalmar os ânimos?


Apesar dessa planta ser muito usada na medicina fitoterápica, existem poucos estudos conduzidos em humanos sobre seu efeito em casos de ansiedade. Segundo Kheibeck, os transtornos da ansiedade são os mais comuns. A ansiedade pode ser natural, o que é normal das pessoas pois é uma ação protetora, ou pode ser patológica, a qual dificulta o relaxamento do indivíduo devido a presença constante de um sentimento de preocupação. Caso a ansiedade patológica não seja tratada, o risco de doenças cardiovasculares e cerebrovasculares aumenta. Além disso, pode causar outros problemas, afetar a qualidade de vida, produtividade, vida social e desenvolvimento pessoal do ser humano.


A ansiedade compreende os seguintes fatores:

  • Medo

  • Insegurança

  • Estresse

  • Pensamento catastrófico

  • Tempo de espera longo

  • Insônia

  • Taquicardia

  • Palidez

  • Aumento de perspiração

  • Tensão muscular

  • Tremor

  • Tontura

  • Desordens intestinais



O tratamento de ansiedade pode ser através de psicoterapia, medicações ansiolíticas, como os benzodiazepínicos e os antidepressivos. Porém, o interesse pelo desenvolvimento de medicamentos com plantas medicinais é grande pois os efeitos colaterais e o risco de dependência são menores do que os causados pelos medicamentos sintéticos.


O maracujá é o nome popular dado para diferentes espécies do gênero Passiflora, podendo ser Passiflora incarnata L., P. alata Curtis (única inserida na Farmacopeia Brasileira), P. coerulae L. ou P. edulis Sims. É muito importante se basear pelo nome científico da planta antes de usar pois cada espécie tem uma ação terapêutica específica. Grande parte dos estudos sobre ansiedade é feito com as folhas da Passiflora incarnata L., que contém propriedades depressoras do Sistema Nervoso Central (SNC).


A passiflora é uma das plantas medicinais mais utilizadas para problemas do sistema nervoso central, como estresse, insônia e ansiedade pois ela é capaz de melhorar a respiração, relaxar tensões musculares e diminuir a pressão arterial. A partir do maracujá é possível obter diversos extratos que variam de acordo com a parte utilizada, por exemplo, enquanto a casca vem sendo usada para tratamentos de emagrecimento e redução de colesterol e glicemia devido à presença de fibras, a folha vem sendo usada com finalidades tranquilizantes e anti-depressivas.


Alguns estudos mostram que os medicamentos fitoterápicos a base de Passiflora tem efeitos tão eficazes quanto os sintéticos para tratamentos de ansiedade. Em uma pesquisa com grupos tratados com oxazepam (30mg/dia) e com medicamento a base de P. incarnata (45 gotas/dia) por quatro semanas, foram obtidos resultados semelhantes, e o grupo do medicamento fitoterápico apresentou melhor desempenho e menos efeitos colaterais.


Os registros de efeitos toxicológicos do maracujá são escassos. Porém, é muito importante consultar o profissional da saúde antes de fazer o uso de qualquer medicamento a base de passiflora. Medicamentos ansiolíticos não devem ser substituídos por essa planta, a menos que seja a pedido do profissional da saúde.



Fonte:

Efeitos do Maracujá (Passiflora spp.) na ansiedade: Revisão da Literatura.